Início do conteúdo
Notícias Funarte MG recebe espetáculos da 41ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança

Funarte Notícias

Publicado em 12 de janeiro de 2015

Funarte MG recebe espetáculos da 41ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança

De janeiro a março, 161 espetáculos a preços populares serão apresentados em teatros de Belo Horizonte, Juiz de Fora, Itabirito e Betim

Funarte MG recebe espetáculos da 41ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança

Até 8 de março, a Funarte MG vai receber alguns dos espetáculos da Campanha de Popularização do Teatro e da Dança, promovida pelo Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas de Minas Gerais (Sinparc). Ao todo, 161 espetáculos, com ingressos entre R$ 5 e R$ 15 reais serão apresentados na capital mineira, Juiz de Fora e, pela primeira vez, em Itabirito e Betim.

Em 2014, a Campanha levou quase 390 mil espectadores às diversas apresentações nos palcos, nas ruas e nas praças, entre peças para o público adulto e infantil. Na 41ª edição, a expectativa é que esse número ultrapasse 400 mil pessoas. A Campanha de Popularização conta, ainda, com projetos especiais, como o Projeto Troca, que possui espetáculos de linguagens diversas e que, ao final, realizam um debate com trocas de informações.

Confira abaixo a programação na Funarte MG

A Erudita (musical)
De 8 a 25 de janeiro
Quinta a sábado, às 21h; domingo, às 19h
Classificação: 12 anos
Duração: 50 minutos
Ingressos: R$ 10 (postos do Sinparc)

A Erudita – uma soprano, uma pianista e uma pitada de ironia. A Erudita é uma cantora lírica que tenta se libertar das duras tradições da música erudita ao se deparar com a impossibilidade de não movimentar-se ao cantar. Cantando, a soprano descobre as mais diversas possibilidades de interpretação de sete canções de compositores de diferentes estilos (entre Mozart, Debussy e Piazolla), relacionando-se com o espaço, com a pianista e com a plateia. Juntando o rigor do canto lírico à liberdade poética do teatro, o espetáculo propõe, ao expor a figura de uma soprano cheia de conflitos, desmistificar a figura do músico, rompendo o estereótipo da cantora de ópera.

Ficha técnica:
Direção e dramaturgia: Antonio Hildebrando
Texto e seleção musical: Priscilla Cler
Elenco: Priscilla Cler, Luciana Soares e Manu Pessoa
Pianista convidado: André Durval
Cenário e Figurino: Coletivo Figurados
Coreografia: Patricia Soares
Produção: Priscilla Cler e Clarice Rena
Espetáculo participante do projeto Troca

A Hora do Brasil – Uma chanchada nacional
De 8 de janeiro a 1 de fevereiro
Quinta a sábado, às 21h; domingo, às 20h
Ingressos: R$ 10 (nos postos Sinparc)
Classificação: 14 anos
Duração: 60 minutos

Numa fusão do humor ‘stand up’ atual com a tradição da chanchada nacional, a peça traça um percurso pela história do Brasil por meio de alguns personagens típicos de nosso teatro cômico ligeiro.

Há quase 80 anos, o programa de rádio A Voz do Brasil continua o companheiro “obrigatório” de nossas jornadas noturnas. A qualquer momento, entre as 19h e 22h, você pode topar com os acordes retumbantes do Guarany. Pensando naqueles que procuram uma alternativa aos boletins oficiais de Brasília, criamos nossa própria versão da Hora do Brasil (como antes era conhecido o programa): durante uma hora, o espectador viajará pela história do país através de alguns personagens típicos de nosso teatro cômico ligeiro. Fundindo a linguagem da ‘stand up comedy’ com as tradições da chanchada e da revista, tão tipicamente brasileiras, a peça busca um teatro popular, de ampla comunicação, e que por isso mesmo privilegia o humor crítico e inteligente, apesar dos artistas envolvidos.

Ficha Técnica:
Atuação: Ederson Miranda
Direção e dramaturgia: Ederson Miranda e Felipe de Moraes
Figurino: Daniel Ducato
Luz: Daniel Hazan
Criação Sonora: Dino Vicente
Produção: Marcelo Carrusca

Talvez eu me despeça
De 15 a 25 de janeiro
Quinta a sábado, às 20h; domingo, às 19h
Ingressos: R$ 5 (nos postos Sinparc)
Classificação: 12 anos
Duração: 50 minutos

São cinco e meia da manhã. Desmaio na cama. Meia hora depois, meu telefone começa a tocar sem parar. Quando acordo, há várias ligações não atendidas e um susto no peito. Dois anos depois daquela madrugada, volto à cena para lembrar uma amiga que não pôde se despedir.

Ficha técnica:
Autor: Daniel Toledo
Diretora: Ludmilla Ramalho
Elenco: Beatriz França
Cenógrafa e Figurinista: Ana Luisa Santos
Produtor: Cia Afeta
Site: www.afeta.com.br

Parada do Trem
De 29 de janeiro a 8 de março (exceto 12 e 15 de fev)
Quinta a sábado, às 20h; domingo, às 19h
Ingressos: R$ 10 (nos postos Sinparc)
Classificação: Livre
Duração: 60 minutos

Parada do Trem, novo espetáculo do Grupo de Teatro Olho Nu, fala, de forma irônica, crítica e bem humorada, da extinção do trem de passageiros no Brasil. Com todas as conotações que cabem ao nome, o espetáculo evita um discurso apenas saudosista e dialoga com a realidade de cada local onde é apresentado, discutindo a histórica opção do Brasil pelo transporte rodoviário.

Ficha técnica:
Autor e diretor: Geraldo Octaviano
Elenco: Cláudio Márcio, Júnia Pereira, Lucas Pradino e Priscila Maria
Cenógrafo: Daniel Hazan e Marcos Moura
Figurinista: Mariana Blanco
Trilha Sonora: Dário Marques e Samuel Marques
Músico em cena: Dário Marques
Produtor: Grupo de Teatro Olho Nu

Relatório para uma Academia
De 29 de janeiro a 15 de fevereiro
Quinta a sábado, às 21h; domingo, às 20h
Ingressos: R$ 10 (nos postos Sinparc)
Classificação: 14 anos
Duração: 50 minutos

Um ex-macaco é convidado por ilustres senhores de uma Academia para relatar o incrível processo de transformação pelo qual passou, ao longo de cinco anos, até se tornar um ser humano. Entre o zoológico e o Teatro de Variedades, ele opta pelo segundo caminho, tornando-se um bem sucedido artista do palco.

Ficha técnica:
Autor: Franz Kafka
Adaptador e diretor: Eid Ribeiro
Elenco: Kimura Schetino
Cenógrafo e figurinista: Eduardo Felix
Produção: Rose Campos e Georgia Oliveira

Sombras – Toda vaca tem nome próprio
De 5 de fevereiro a 8 de março
Quinta a sábado, às 20h; domingo, às 19h
Ingressos: R$ 10 (nos postos Sinparc)
Classificação: 14 anos
Duração: 60 minutos

A quase nada estamos imunes nesta vida. O que você faria se as sombras do passado refletissem suas atitudes no presente? Duas mulheres, um homem e um acerto de contas entre eles. Assim é o espetáculo Sombras – toda vaca tem nome próprio, um drama latino do renomado dramaturgo e diretor argentino Hector Oliboni, que marca a estreia da Cia. Dupla nos palcos de Minas e do Brasil.

Ficha técnica:
Autor: Hector Oliboni
Diretor: Marcelo do Vale
Elenco: Raquel Dutra, Raquel Lauar, Rodrigo Mangah
Cenógrafos e Figurinistas: Cícero Miranda e Roseli Cota
Técnico: Cacá Nunes
Produtora: Cia Dupla de Teatro

O Urro
De 19 de fevereiro a 8 de março
Quinta a sábado, às 21h; domingo, às 20h
Ingressos: R$ 10 (nos postos Sinparc)
Classificação: 14 anos
Duração: 50 minutos

A montagem, que incorpora múltiplas linguagens, constrói sua narrativa conectando o texto, a música, o H.Q., a animação e o vídeo à performance cênica. A articulação de todos esses elementos confere um caráter de ineditismo e de experimentação ao espetáculo. Mas para além do humor, do lúdico e do poético, o espetáculo busca compartilhar uma reflexão sobre o urbano e os valores da sociedade contemporânea.

Ficha técnica:
Autor: Carlos Rocha
Diretores: Carlos Rocha e Gil Amâncio
Elenco: André Senna
Quadrinhos: Marcelo Lelis
Animação: Voltz Design
Vídeo Repórter Urgente: V. Prod.Audiovisual
Ator Repórter Urgente: Willian Cristiano
Cenógrafo e Figurinista: Marco Paulo Roll
Trilha Musical Original: Gil Amâncio
Produtor: PO Produções Artísticas

Local: Funarte MG
Endereço: Rua Januária, 68
Floresta – Belo Horizonte (MG)

Mais informações: www.sinparc.com.br